Vale a pena ser honesto?

Salmo 37

“Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Pois eles dentro em breve definharão como a relva e murcharão como a erva verde. Confia no SENHOR e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará.”

É impressionante como os textos bíblicos escritos há milhares de anos são tão atuais e oportunos apesar de estarmos em pleno século XXI. Esse texto é o maior exemplo dessa afirmação, pois tal como no passado pairava entre as pessoas uma sensação de injustiça, por causa da impunidade aos incorretos e desonestos que aparentemente sempre se davam bem. Nessa época, muitos pensavam se valia ou não a pena manter-se íntegros, honestos. Hoje não é diferente, quando pela mídia somos informados das tantas falcatruas, quer seja no cenário politico, econômico, social, da existência de pessoas que agiram de forma fraudulenta; mesmo depois de expostos e revelado seus crimes acabam sem a merecida punição, daí então somos tentados a pensar que andar certo, andar dentro da lei, não vale a pena. Chegamos a nos sentir como bobos, mas esse texto dentre outros nos esclarece que essa indignação ou qualquer tipo de inveja por causa dos mal-feitores, não deve existir tanto quer seja no ponto de vista espiritual ou material.

Logo mais o texto afirma que o destino deles mais cedo ou mais tarde é de definhamento, até perecerem. Bem diferente dos que confiam em Deus e fazem o bem; os que praticam a palavra de Deus, esses habitariam na terra e teriam seus desejos atendidos.

Recordo-me também de Romanos 13 “De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor, quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela, visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem.

Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivo que ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. É necessário que lhe estejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência…”, ou seja, se andamos corretamente não há o que se temer.

Resumidamente, as duas passagens dizem, se andarmos na linha, esforçando-nos em ser pessoas melhores, estaremos no caminho certo e no momento oportuno Deus recompensará. Portanto perseveremos na nossa integridade de fé e temor Nele.

Pense nisso e que o Espírito Santo fale ainda mais em seu coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *